Grupo Boticário quer aplicar R$ 380 mi em uma fábrica em Camaçari (BA)

Fonte: InvestNE, publicado em 24 de Agosto de 2012


Estimativa é gerar mil empregos diretos na fase de obras e outros 700 diretos na fase de operação

 

O Grupo Boticário escolheu a cidade de São Gonçalo dos Campos para a implantação de um centro de distribuição que receberá investimentos de R$ 155 milhões. A decisão, anunciada na última quinta-feira (23.08) pelo presidente do grupo Artur Grynbaum, faz parte do plano de expansão da empresa paranaense para a região Nordeste, que prevê ainda a aplicação de R$ 380 milhões na construção de uma fábrica em Camaçari com capacidade de produzir 150 milhões de itens por ano. As obras começam ainda este mês e a inauguração está prevista para o segundo semestre de 2013.

 

 O CD, que será construído em uma área de 25 mil metros quadrados, terá capacidade de expedir 1,2 mil caixas por hora. Equipada para a produção de itens de perfumaria e cosméticos, a fábrica, que ocupará uma área de 176 mil metros quadrados na Via Parafuso, dará suporte à produção de três marcas do Grupo Boticário: O Boticário e Eudora, além da recém lançada marca de maquiagem, quem disse, berenice?.

 

"A nossa ideia é que a planta na Bahia dê suporte às três marcas, assim como a de São José dos Pinhais", explica o presidente do grupo, Artur Grynbaum. Para ele, o investimento no Estado é importante para fortalecer a presença do Boticário nas regiões Norte e Nordeste do Brasil.
 

"Esta é uma operação muito importante porque é a primeira fora de nosso estado, porque envolve um volume de recursos significativo e porque vai fortalecer a nossa presença em um dos principais mercados do País", diz.

 

O foco na parte de cima do mapa do Brasil explica a escolha de São Gonçalo dos Campos, município próximo a Feira de Santana, por onde passam alguns dos mais importantes corredores rodoviários ligando Sudeste e Nordeste do Brasil. "Certamente com a estrutura de distribuição na região, teremos capacidade de atender o mercado com muito mais rapidez", destaca Grynbaum.
 

Além da questão logística, o presidente do Boticário destaca o interesse em inserir a empresa em um município que precisa de desenvolvimento. "Além de estar próximo a Feira de Santana, São Gonçalo vai nos dar a oportunidade de estar em um município que está em processo de desenvolvimento", analisa. A estimativa é de gerar mil empregos diretos na fase de obras e outros 700 diretos na fase de operação.

 

Do Governo do Estado